domingo, 8 de novembro de 2015

Um dia faço você acreditar

Que o sentido da vida não é para frente. É para cima!

Você precisa sair desse escritório chato, dessa sua vidinha parada. Aumente o volume de seu rádio, repita seus melhores lapsos, aumente a frequência de seus instantes de adrenalina e de frio na barriga. Quero te fazer descobrir uma vida que há fora dessa sua camisa abotoada cautelosamente, fora desse seu cabelo ajeitado milimetricamente e fora desse seu cinto mais apertado que qualquer sutiã aqui nesse bar. Hoje você beberá mais do que deve e irá rir sem se preocupar com a equalização de seus risos, quero ouvir suas piores piadas e suas histórias mais patéticas, quero te ver livre. Quero que saiba que quanto menos vida, mais sonho. Então aproveite, você é muito novo para se preocupar tanto com o inexplicável.
Farei com que você ouça músicas que nunca te satisfizeram, e que fale alto, que fale palavrões quando necessário e que aceite ocasiões impostas. Quero ouvi-lo reclamar, arrependido de noites com pessoas que o desgastavam enquanto gostaria de estar em sua casa com roupas íntimas, saboreando um fardo de cerveja barata do mercado da esquina ao ver um filme clichê até demais.
E então, vou querer saber de tudo o que passava por sua mente durante nossa conversa onde eu insistia que você deveria parar de focar tanto o futuro e começar a sonhar cada vez mais alto. Porque no fim, você será grato por ter feito as pessoas acreditarem cada vez mais em instantes duradouros e sonhos improváveis.
Postar um comentário