quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Sem querer se encontraram

(Também sem presença na playlist, porém, indico "Better Together" de Jack Johnson)


Me conte: Você já olhou para a lua e avistou a figura de um coelho? Reza a lenda que se sua resposta for "sim", você certamente está ou esteve apaixonado. E essa poderia ser mais uma história sobre como Afrodite agiu em mais um casal digno de roteiro cinematográfico, ou como o cupido flechou um casal feito para ficar junto. Mas não, é só sobre um suposto coelho, sobre amigas que compartilham o pote de ouro, e sobre como um casal pode incentivar tantas pessoas.
Ela, típica loura que rouba a atenção, dona de um sorriso espontâneo alucinante e de uma energia que contagiava quem quer que a visse. Ele, ladrão de olhares de quem quer que fosse, dono de um histórico de longo relacionamento e de uma alegria de invejar. E entre eles, a lua, idas, vindas, amigas que defendem ou não um suposto futuro relacionamento, bebidas, festas, amigos em comum e uma rua.
Mas em meio a tantos poréns e tantas vírgulas, houve um "e se", e uma festa acabou fazendo dos dois os melhores companheiros, melhores amigos e melhores amantes que se pode encontrar. Compartilham beijos, tapas, abraços calorosos, abraços frios, olhares apaixonados, olhares que se perdem no instante em que se encontram. Os que observam a felicidade iminente de ambos desejam o mesmo, são feitos de histórias e amores, um amor inexplicável, um amor só deles.
E apesar de não acreditarem na loucura de darem certo, houve um tal de acaso, ou de destino interferindo. E ela, bailarina acabou roubando o coração dele, espectador. Eles que juntos formam o que todos buscam, sem roteiros, sem melodramas, sem incompreensões, são um amor do simples, do puro. Um amor sem poesia, com muita emoção e muita paixão. Um amor sem exceções, o amor medido de maneira errada, que transborda a cada encontro, o amor que todos deveriam ter.


E para quem não se viu achando o coelho da lua, tudo bem. Talvez você precise de um empurrãozinho de seu vizinho chato. Porque as melhores histórias começam com "Sem querer", e sem querer ele roubou um beijo em uma festa, agora, sem querer, ele é o excesso de um alguém que se via sendo pouco. 
Postar um comentário