segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Me perdi nas linhas desse texto

Moça, se permita abandonar seus guias, suas bússolas e seu bom senso.
Em certo momento de nossas vidas, acabamos descobrindo que para encontrar nossos rumos, é preciso nos emanciparmos do mesmo. Tal ironia definida pelo fato de jamais o tentarmos para descobrirmos a realidade por trás da mesma.
Esse momento da vida chegará quando você simplesmente não tiver noção alguma do que o futuro reservará. Onde estará, ao lado de quem estará e o porquê ali estará. Eis que se encontrará, porque uma das melhores coisas dessa vida são encontradas, e se um dia as encontramos é porque em algum momento foram perdidas. Como a meia que perdemos nos lençóis durante as noites frias, como o juízo que perdemos com um alguém, como o pudor que perdemos vez ou outra, ou a coragem que encontramos para certos lapsos, assim como a felicidade que encontramos pelos perdidos que a vida nos dá. Portanto, permita-se se perder, e finalmente, encontrará algo. Nem que seja o motivo pelo qual se perdeu.
Postar um comentário