segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Ela é felicidade de canto a canto.

Ela resolveu se misturar, passou a sair e a ver o mundo, foi gradativamente corrompida por suas amigas, fez o possível para negar ao álcool mas acabou cedendo, tentou resistir aos homens com as piores famas e mais uma vez, cedeu. E havia quem dissesse que aquela moça dançando exatamente no meio do salão era a mais bonita. De todas, era a que usava menos maquiagem, não passava o tempo todo arrumando seus cabelos (gostava muito quando o vento trazia uma forma à ele), era a que mais bebia, afinal, acabou aprendendo e descobriu que podia muito mais. Dançava como se não houvesse pessoas ao redor, conversava com quem aparecesse oferecendo um sorriso sincero, e se entregava aos que a faziam se sentir livre. E no dia-a-dia, ela faz quem quer que seja sorrir abertamente, e traz um brilho ao olhar das pessoas praticamente inexplicável. E sim, ela é aquela que anda da forma mais natural possível e se encontra exatamente no meio da praça, se distraindo com as árvores e se deixando devanear pela brisa que bagunça seus cabelos. Mas se torna a pessoa mais encantadora que já se conheceu quando começa a falar sobre suas teses, livros que leu recentemente e frases de músicas que ouviu há pouco, sua voz se torna confortante e seus sorrisos se transformam em antíteses da rapidez absurda do tempo.
Ainda não sei porque justamente você chamou a atenção dela, mas ouvi dizer que o acaso é a ocorrência mais linda, e foi você quem teve coragem de se aproximar de modo espontâneo, e ainda sim, fazer com que o acaso tomasse conta do momento. E devo assumir, nunca a vi sorrir tanto na presença de alguém, ou se empolgar tanto ao contar algo como quando você a abraça e pergunta de seu dia. Portanto cuide dela, não abandone sua vida para cuidar da dela, de modo algum, porém faça com ela seja parte da mesma. Se deixe levar por suas loucuras pessoais e suas particularidades, porque ela é Ana, e você precisa ser apenas o mar. Porque ela é tumulto, e você deve ser a calmaria. Porque ela é Mônica e você pode ser seu Eduardo. E porque garanto que será feito de felicidade, de canto a canto.
Postar um comentário