quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Amores Momentâneos

Uma troca de olhares, um sorriso não premeditado, uma perda de sentidos, um leve enrubescer de bochechas... Ah, os amores de instante!
Você está num dia difícil, pega o metrô sem entusiasmo algum, com seus fones altíssimos e seu pior traje, eis que seus olhos te traem e você esquece-os sobre outros. Especificamente, sobre o par de olhos que fez seu dia valer à pena e seu sorriso abrir de modo sutil, sincero. Você desvia o olhar e por uns instantes se perde no momento, demorando à se dar conta de que ainda permanece com os lábios arqueados tendendo a rir de si mesma. Eis que olha em volta, esperançosa de que alguém mais tenha sentido esse turbilhão inocente que a pegou desprevenida, e a vida de todos em volta continua a mesma, monótona. Exatamente como a sua antes de se deparar com seu amor de momento.
Após um tempo, seus pensamentos a denunciam e trazem à você uma absurda curiosidade. Afinal, aqueles olhos ainda a miram? E será que há outro sorriso bobo no local, causado por aquele desvio de olhares? Finalmente, você se sente a pessoa mais completa do mundo, simplesmente por saber que sim, causou as mesmas percepções inocentes em alguém. E que esse alguém também perambula sorridente por tê-la encontrado num desses encontros casuais.
Postar um comentário