segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Já tomou chuva hoje?

É cheiro de terra molhada, é brisa suave que acalenta mentes perturbadas e corações enevoados, é pingo a pingo que lava a alma, é poesia, é inspiração, é poeta, é amante, é amiga, é chuva! Chuva é amor, divertida como uma dança com os pés bobos por conta da água empoçada, é feliz como uma criança que salta de poça em poça rindo da maneira mais sincera, é receio quando forte e devastadora, é paixão quando calma e fina, e é, sem dúvidas, terapia para almas necessitadas.
Portanto, deixe chover, deixe molhar cada ínfimo espaço de seu corpo, assim como deixamos que beijos durem, e que o tempo cure, deixamos nos molhar.
Dias regados à chuva têm jeitinho de infância, com cheiro de casa de vó e essência de bolinho de chuva, quando tardes e manhãs eram compostas apenas por filmes à la romances previsíveis e conversas sobre o que seria de nossas vidas sem os mesmos. E são as melhores ocasiões para se deitar aninhado, vendo filmes dos mais diversos gêneros consumindo ora porcaria, ora chás que encobertam a frieza do dia cinza. Ou servem apenas para ouvir o som mais acalmante que se pode existir, enquanto envolve-se cada vez mais em suas cobertas recheadas de memórias dos dias chuvosos.
Postar um comentário