quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Ela precisa do Nando de presente.

Sou suspeita para escrever sobre esse incrível cantor, poeta e ruivo barbudo que cativa à todas as pessoas que admiram sua arte. Mas preciso dizer, quero presentá-la com um! E não precisa de embrulho, nem lacinho, nem embalagem festiva. Quero só ele, e basta.
Já a imaginei ouvindo o dia todo que a consequência do destino é o amor e que é para ela que ele guardou o mesmo, que havia guardado sem ter porquê e nem ter razão. E sim, posso ver o sorriso que dará ao saber que esse texto é para ela que me fez gostar dele. E vejo com facilidade suas covinhas curvas ao notar que é por uma piada que escrevi sobre seu presente...
Voltando ao Nando, é preciso ressaltar que ela passou a usar all star azul porque acreditava que ele um dia diria que seu preto combinaria com o dela. E que, por Nando, ela aprendeu a tocar violão, porque o amor é violável, um violão. Até porque quando ela sonha, diz que ninguém irá dormir nos dela, que são cheios de Reis e de Tiranossauros Rex para fazer jus à seu primeiro canto, mas primeiro, quer de presente seu Fernando. Sei também que o fato de ter começado a fumar foi por conta de seu querido cantor, assim como quando entra em amores jamais se quer, quer sempre a outra pessoa. Porque aprendeu com ele.
E quando ela se pergunta "Por onde andei?", sempre digo e sempre direi: "Provavelmente na Sibéria em busca de seu all star preto."
Postar um comentário