terça-feira, 13 de outubro de 2015

Sua garotinha cresceu.

Crescer é algo muito caótico, de certa forma complexo, mas também tão natural que é raramente notado. Isto é, só notamos o quanto crescemos, quando é preciso. E o mesmo aconteceu com sua garotinha, ela notou recentemente que cresceu, que não é mais aquela pequena que anseia grandes planos, não ri espontaneamente com tanta facilidade, sequer sonha tão alto como antes... E notou também, que é apenas o preço de uma maturidade certamente precoce.
Ela, que antes gostava de se equilibrar na beirada da calçada ao andar, hoje desafia seus próprios sonhos se equilibrando entre manter-se firme e forte e enfrentá-los. Ela, que antes esperava ser levada à dançar para que se sentisse bem e auto confiante, hoje é a essência da confiança enquanto cativa aos que a observam dançando de seu modo descontraído, fluído. Aquela pequena que antes era o contorno da sensibilidade miscigenando a inocência, hoje é a coragem e a liberdade consentidas.
Afinal, aquela garotinha que se contorcia ao rir de piadas repetitivas, é hoje a mulher que carrega aquela diversão infantil em seus sorrisos,e que carrega também suas manias mais peculiares, e em seu olhar, leva toda a imaginação e paixão que possui desde a época em que não podia alcançar os armários. E não há quem não se orgulhe da mulher que ela se tornou: Forte, destemida, divertida, inteligente e acima de tudo, livre. 
Postar um comentário